Como ajudar as nossas crianças a enfrentar o luto
Recentemente passei por uma situação muito difícil, a perda de uma pessoal muito querida e que fez parte da minha infância. Me deparei com o fato de ter que falar sobre esse tema tão delicado com...

Leia mais

Coisa de menino e coisa de menina
Uma menina gostar de azul tudo bem! Mas e um menino gostar de rosa? Conheço muitos pais que vão responder: – Ah, não… Rosa meu filho não vai vestir! Assim como já ouvi: – Essa b...

Leia mais

Toda criança precisa de Ninho
  Você já deve ter visto um ninho de passarinho de perto. Melhor ainda se conseguiu acompanhar todo o árduo trabalho desses pequenos seres para construir um lar para seus filhotes. Eles trazem...

Leia mais

Criança e Agressividade
Ruiva, cabelo encaracolado e cheia de personalidade. A mãe descreve assim a filha de menos de três anos. A pequena é independente, quer escolher a roupa (não importa se o termômetro marca 17 grau...

Leia mais

O momento de tirar a fralda
  Seu bebê está crescendo, adquirindo cada vez mais autonomia e você percebe que está na hora de deixar a fralda pra trás. O período do desfralde indica o início da maturidade na criança....

Leia mais
0

Dormir na Cama dos Pais!

Family's feet in the bed

A cama dos pais é sempre um lugar gostoso de estar, tem um cheirinho todo especial e um quentinho acolhedor onde todos os medos e problemas parecem desaparecer com  um simples passe de mágica.

E este é um assunto recorrente entre os pais de crianças pequenas: “Meu filho dorme na cama com a gente! O que isto pode atrapalhar na vida dele? Como fazemos para mudar isto?

A questão aqui é quando isso acontece com grande freqüência, muitas vezes todos os dias.

Vários, podem ser os motivos pelos quais devemos acostumar nossos filhos na cama deles, podemos pensar em uma boa noite de sono tanto para os pais como para as crianças ou pensar no momento íntimo do casal. Motivos que, certamente, são válidos!

Entretanto, vamos falar do ponto de vista da criança através do caminho de seu desenvolvimento.

Quando a criança nasce, ela está totalmente envolvida com o ambiente que a rodeia, como se ela e o mundo externo fossem um só. Uma fase de simbiose que leva aproximadamente dois ou três anos.

Conforme ela caminha em seu desenvolvimento, este um começa a virar dois! A sua individualidade vai surgindo, sendo construída através de suas percepções do outro, de seu espaço, de seus contornos… Ela reconhece o mundo fora e o outro, ganha cada vez mais autonomia e segurança para agir no mundo.

Não devemos prolongar esta fase, a manifestação desta individualidade é necessária para sua formação física e emocional.

Olhando por este ponto de vista, percebemos o quão importante se torna a necessidade de colocá-los em seu espaço na hora de dormir.

Este é um momento em que podemos propiciar esta oportunidade de que a criança desenvolva seus limites e aprenda a gostar de seu espaço. Dar a ela possibilidade de aprender que pode confiar no espaço ao redor, mesmo quando não tem ninguém “grudadinho”ali com ela.

A criança que vivencia esta conquista, preenche seu coração com confiança. É um alimento para que ela desenvolva seus limites, aprenda a se relacionar com o outro, respeite o espaço do outro. Todas essas mensagens estão embutidas nesse processo de forma sutil e que conseguimos perceber no dia a dia.

O começo não é fácil, pode levar alguns dias para se instalar este novo hábito, mas, vale à pena começar!

0,,46093639,00


0

Bem Vindos!

 

 

Pensei muito com qual post iria iniciar o Blog, a princípio seria com um texto sobre a Importância da Brincadeira na vida da criança, um texto que já está pronto e, que provavelmente, será o próximo ou um texto de orientação, como a hora de dormir, medos infantis ou limites… mas ainda não seria isso…

O blog está tendo início em um dia muito especial: o primeiro dia de Julho! Mês do meu Aniversário e de férias das crianças

 

Então, gostaria de dar um presente que recebi de um amigo querido há tempos: Um poema de Dom Helder Camara que retrata exatamente como devemos lidar com as crianças de Primeiro Setênio. Sempre uso este poema para ilustrar essa fase da infância que é a base da formação do Ser Humano, uma fase em que temos os primeiros contatos e as primeiras memórias. A fase que chegamos ao mundo e queremos e devemos ser bem recebidos, para que a primeira impressão fique e sirva de Pano de fundo para a vida inteira!

Escolhi este verso para que possamos sentir com o coração e sair um pouco do lado intelectual no momento de compreender estes pequenos.

 

Minha Pedagogia

Dom Helder Câmara

 

Não ensine a seu filho

Que as estrelas

Não são do tamanho que parecem ter:

Maiores do que a terra!

São lâmpadas

Que os anjos acendem todos os dias

Assim que o sol

Começa a escurecer…

Não diga a seu filho

Que as asas dos anjos

Só existem na imaginação.

Já vi meu anjo em sonho

E posso jurar

Que ele tem asas claras

Que até parecem feitas de luz.

Não encha a cabeça de seu filho

Ensinando-lhe hipóteses precárias

Que amanhã de nada servirão.

Povoe de beleza

O olhar inocente de seu filho.

Dê-lhe uma provisão de bondade

Que chegue para a marcha da vida.

Infunda-lhe na alma

O amor de Deus

– e tudo o mais,

por acréscimo,

ele terá.

 

Sejam muito bem vindos!