Como ajudar as nossas crianças a enfrentar o luto
Recentemente passei por uma situação muito difícil, a perda de uma pessoal muito querida e que fez parte da minha infância. Me deparei com o fato de ter que falar sobre esse tema tão delicado com...

Leia mais

Coisa de menino e coisa de menina
Uma menina gostar de azul tudo bem! Mas e um menino gostar de rosa? Conheço muitos pais que vão responder: – Ah, não… Rosa meu filho não vai vestir! Assim como já ouvi: – Essa b...

Leia mais

Toda criança precisa de Ninho
  Você já deve ter visto um ninho de passarinho de perto. Melhor ainda se conseguiu acompanhar todo o árduo trabalho desses pequenos seres para construir um lar para seus filhotes. Eles trazem...

Leia mais

Criança e Agressividade
Ruiva, cabelo encaracolado e cheia de personalidade. A mãe descreve assim a filha de menos de três anos. A pequena é independente, quer escolher a roupa (não importa se o termômetro marca 17 grau...

Leia mais

O momento de tirar a fralda
  Seu bebê está crescendo, adquirindo cada vez mais autonomia e você percebe que está na hora de deixar a fralda pra trás. O período do desfralde indica o início da maturidade na criança....

Leia mais
0

Vamos falar de inclusão?

IMG_6496

Esse é relato de uma amiga querida que se deparou com um grande desafio na alimentação do seu filho quando ele ainda era muito criança. A adaptação não foi fácil, mas com o tempo todos saíram ganhando!

“Meu nome é Elisete e sou mãe do Gabriel que tem 10 anos. Quando ele tinha 2 anos desenvolveu uma diarréia crônica e muita dor abdominal, os médicos descobriram que ele tinha doença celíaca, o que significa o intestino dele é incapaz de digerir o glúten. Na hora comecei a pesquisar sobre a dieta já que não tem remédio e nem cura. Foi aí que minha vida mudou e a dele também, pra melhor, é claro! Pois a partir de então ele passou a comer coisas que não faziam mais mal. Em casa fiz uma faxina e proibi esse tal glúten de entrar em casa, já que existe o risco de contaminação cruzada (transferência de partículas de glúten de um alimento para outro do plantio à manipulação dos alimentos). Para nós, o glúten é veneno e por isso deve ficar bem longe do Gabriel. Avisei a família e a escola. Ninguém conhecia essa doença, então sempre explicava com toda paciência do mundo. Em casa foi muito fácil a adaptação. O complicado mesmo era na escola e nas festas de aniversário, pois ele não podia comer nada ou porque continua glúten ou porque havia o risco da contaminhação cruzada. Aí fui me especializando na cozinha, aprendi a fazer várias receitas pra ele. Hoje, em todo aniversário eu levo o kit festa( guloseimas que muitas crianças gostam como, pirulitos, balas, paçoca). Na minha família, eu virei a boleira, sempre faço os bolos que são muito elogiados. Gosto de ver o Gabriel comendo junto com outras pessoas e se sentindo normal. Na escola, sempre levei bolos inteiros para serem divididos, faço a inclusão e aproveito para explicar um pouco sobre essa doença. Várias vezes me senti feliz e emocionada! Uma dia Gabriel chegou em casa com aquelas sacolinhas surpresas de aniversário e a dele era especial. Olha que gracinha, o amigo falou dele pra mãe que providenciou uma sacolinha especial, depois dessa foram várias outras sacolinhas especiais.” Elisete da Silva Leite

 


0

Volta às aulas

Chegamos ao final das férias e, nesta semana retomamos o ritmo escolar.

Algumas crianças sentem um pouquinho mais de preguiça, pois nas férias acorda-se um pouco mais tarde, muda alimentação e horário de dormir, mas, em contrapartida tem o reencontro com os amigos que é uma festa!

Enfim, é hora de rever os amigos, prestar atenção nas aulas, organizar o material, fazer as lições de casa…

volta as aulas desenho

Pensei em compartilhar com vocês, algumas dicas fundamentais para que esse percurso escolar aconteça da melhor forma possível.

Para começar, é importante cuidar da rotina diária e dos horários dos pequenos, para que tudo aconteça em horários parecidos – hora do almoço, do jantar, de dormir, do banho e da lição de casa.

Outros dois pontos fundamentais são a alimentação e o horário de dormir! Comer bem e dormir cedo (mesmo que a criança estude a tarde) reflete diretamente na disposição da criança e no seu desempenho escolar.

E, agora as lições de casa!

Muitas vezes, os pais enfrentam dificuldades neste momento. Temos as crianças que enrolam e ficam horas para terminar um dever e outras que perdem a atenção com facilidade. Para melhorar isso podemos fazer alguns ajustes como: reservar um lugar próprio para a lição de casa onde tenha o mínimo de estímulos externos (TV, brinquedos, pessoas conversando de outros assuntos). Visto isso vamos cuidar da postura, é importante que a criança não fique debruçada na mesa e que esteja com os dois pés no chão.

Quando ficamos com a coluna reta e os pés em contato com o chão, é uma maneira de sentirmos nosso corpo por inteiro e estarmos mais consciente do momento presente.

Essa dica vale para os nossos filhos, mas, também para os adultos quando estão inseguros ou precisam se concentrar por algum motivo, exercite esta experiência e veja como a nossa atenção e foco mudam.

volta a escola

Pequenas mudanças que podem tornar o dia a dia escolar mais saudável.

Um excelente retorno à todos, que este novo semestre seja repleto de novos aprendizados e alegrias!