receita-de-bolo-de-aniversário-simples

 

Hoje é um dia muito feliz pra mim, meu aniversário! Sou grata pela minha vida, pelas oportunidades, por todos os encontros que o Universo coloca no meu caminho!

E neste dia especial, gostaria de compartilhar com vocês uma linda história de aniversário que retirei de um livro que gosto muito – Jardim de Infância estruturando o ritmo diário segundo as necessidades da criança pequena de Helle Heckmann.

Uma história especial para contar aos nossos filhos, copiei exatamente como está no livro, por isso substituam o nome da Personagem pelo nome de seu filho ou filha.

 

Uma História de aniversário

Tal qual é contada por Helle no Jardim de Infância Nøkken

 

Seis anos atrás – na verdade, um pouco mais – , Rosa Maria não estava de modo algum, aqui na Terra. Estava lá em cima nos céus, junto com seu Anjo da Guarda, e era muito, muito feliz. Pulava, dançava e rodopiava. Primeiro pulava numa perna só, depois na outra, e não caía nenhuma vez.

Um dia, seu Anjo da Guarda chegou junto dela trazendo uma bola de ouro. A bola, bem redonda, era feita do ouro mais puro. O Anjo da Guarda deu a bola a Rosa Maria para que ela brincasse. Rosa Maria lançou-a bem alto e pegou-a de volta. Depois jogou-a de uma mão para outra, e não a deixou cair nenhuma vez.

Certo dia, Rosa Maria estava com o ânimo realmente brincalhão; pegou a bola, segurou-a para tráz do ombro e lançou-a longe, longe, lá para dentro do mundo. Atirou-a o mais longe que conseguiu, e tão longe ela foi parar que desapareceu completamente. Rosa Maria procurou aqui, procurou acolá, procurou por todo lado, mas não conseguiu encontrar a bola em lugar algum. Justamente naquele momento, viu algo cintilando entre as nuvens. Saiu correndo por cima destas e… Vejam!… lá estava ela!

Quando se abaixava para pegar a bola, seus olhos captaram uma vista da Terra, e lá embaixo ela viu algo realmente maravilhoso. Viu uma mamãe que sonhava com uma menininha, e um papai preparando um bercinho.

“Ei!”, disse Rosa Maria ao seu Anjo da Guarda, “posso ir lá embaixo? É o que eu quero, mais do que qualquer outra coisa em todo o amplo Universo”.

“Sim”, respondeu o Anjo da Guarda. “Você pode descer; mas primeiro teremos de viajar durante muito tempo passando pelo Sol, pela Lua, pelas estrelas do céu e através dos portais celestiais, até alcançar o portal do Arco – íris. Ali você terá que deixar para trás suas vestes celestiais, e eu as guardarei para você até o seu retorno.”

Naquele exato momento a criança caiu num sono muito, muito profundo. A mãe veio e guardou a criança embaixo do seu coração. O pai chegou e abraçou sua família; e de repente, um dia, uma menininha estava deitada no bercinho, com os olhinhos cintilando como estrelas. Ela tinha um nariz pequenininho que você podia mexer pela pontinha, e um queixinho que você podia tocar de leve!

Seus dedinhos das mãos se mexiam para cima e para baixo, e seus dedinhos dos pés ondeavam no ar! E assim a criança nasceu, e o melhor nome que os seus pais puderam pensar para ela foi Rosa Maria.